Insónia

E são as horas, que andam às voltas, que me matam, ou as minhas voltas na cama que matam as horas.

E é este mal estar interior que me aperta o grito na garganta, ou o saber o que a garganta tem para gritar.

E é pensar que estamos os dois errados, ou o erro que é o que estamos a desperdiçar.

E é o doer ou o magoar.

E é esquecer ou amar.

Retirado do Blog: O Rapaz que pensava que o mundo era redondo.
Anúncios
Esta entrada foi publicada em com as etiquetas , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s