16.

A teoria de que é aos dezoito anos que a vida começa, soa um bocado como a teoria do ‘Ano Novo, vida nova’. Como se fosse o passar dos anos que eliminasse o que precisamos de apagar das nossas vidas. Como se fosse o passar dos anos que agarrasse na nossa vontade e a colocasse em prática. O tempo é preponderante, é verdade. Mas tempo não é vontade. Tempo não é força. O tempo é um abre olhos, por vezes. Mas nada mais do que isso. O tempo não é o controlo remoto da vida, que decide o que tem ou não de ser feito. O controlo remoto da vida somos nós próprios. O que é preciso é vontade, para que possa ser tomada uma atitude. Isto sim é difícil, porque somos fracos. Somos vulneráveis. Deixamos facilmente influenciar-nos por qualquer coisa que a certa altura nos faz desistir. E o erro está aí. Em desistir. Porque mais uma vez, somos fracos. E a coragem, está nos fortes.

Pego muitas vezes na frase de boas-vindas a este blog «They always say time changes things, but you actually have to change them yourself». De certo modo, foi ela que me fez tomar outra perspectiva acerca das coisas. Foi através dela que comecei a perceber que parados não movemos o mundo. Que se o tempo passar e eu simplesmente não me mover, não vou alcançar objectivos nenhuns. Somos nós quem temos de mudar as coisas. Podemos fracassar, é certo. Mas não é o tempo que vai eliminar das nossas vidas aquilo que só nós, com vontade e atitude, temos de eliminar. Esta é uma realidade que custa a ser entendida pelos mais fracos. E não os condeno! Fui fraca durante tantos anos… Vivi durante tanto tempo na ilusão de que o próprio tempo curaria tudo. Enganem-se. Não cura. As coisas na minha vida só começaram a tomar outro rumo quando eu própria deixei que isso acontecesse. Quando tive vontade e decidi tomar uma atitude. Quando eu queimei todas as memórias e deixei que ardessem sem olhar para trás. Sem pensar nelas. Se foi fácil? Não, nunca ninguém disse que iria ser fácil. A única diferença foi que, passados quatro anos, eu tive aquilo que achei que sempre tinha tido e não tinha: Vontade.

E é por isto que vos peço que não percam tempo. Há coisas que simplesmente não nos pertencem. E a cada vez que insistimos, perdê-mo-la um bocadinho mais. Que o tempo vos ajude a abrir os olhos, mas que não julguem que ele vá mudar as coisas. Pois são vocês que têm de mudá-las.

Daniela.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Tretas com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

3 respostas a 16.

  1. Ainda tenho esperança que um dia destes vires os teus textos mais para o quatidiano, e pá escrita light que eu tanto gosto, e deixes de lado por uns tempos este tipo de textos mais pesados 😛

    Anyway, nao deixa de ser uma boa “treta” ^^

  2. Priscila diz:

    È isso aí: a importância das nossas ESCOLHAS .Há sempre escolhas que nao sao as melhores , concordo contigo que a VONTADE de mudar é a tal mola essencial . Vai em frente (e quem é que nao tem feridas para tratar ?è preciso que se tratem mas a marca fica lá ,mas deixa de doer se tiver sido bem tratada !) bjinhos ( mae da Priscila)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s