Terrorismo Sónico – Desliguei a máquina

Para quem não sabe, Terrorismo Sónico é constituído pelo famoso Mundo Segundo e Ex-peão dos também famosos Dealema. Nesta música, existe uma participação de Sagaz.

Mundo Segundo

Faz meses que já não sonho e adormeci as emoções. Hoje o mundo é feio, medonho, quero estar só com os meus botões. Frio, coração de pedra, mas a culpa não é minha.
Deus fez-me 3 visitas, levou tudo o que eu tinha. A minha vida é o resultado da maturação imposta, um adulto à força na avalanche da encosta. Não guardo segredos mas há algo que eu não te mostro, como o peso da morte que escondo por trás do meu rosto. Por vezes dias são lentos, cinzentos, intermináveis, com nuvens carregadas de noticias desagradáveis. Por favor, hoje não me fales de responsabilidade.. Da conta da água, do gás e da electricidade.. Da renda, das prestações e das taxas de juro… Do carro, da gasolina, da comida e do seguro. Saldo bancário nulo, enquanto deambulo às voltas no casulo, estou vivo congratulo. Anestesio os sentidos, demónios adormecidos. O fumo, dos piores vícios por mim adquiridos. Entre doenças não passaremos despercebidos, está uma guerra a porta, nós os maiores inimigos. Policias são bandidos, bandidos são policias, apaga a televisão, não vejas as notícias. O medo conduz-nos ao controlo populacional, contaminados pelo vírus da crise sem injecção de capital.

Sagaz
Hoje acordei com os olhos em sangue e as mãos cheias de feridas, com o corpo anestesiado e a alma dorida. Parei para pensar… será do caminho que tenho seguido ou será de todos os sacrifícios que me têm pedido? Hoje caiu-me tudo ao chão, embarquei na névoa e perdi-me na escuridão. Não quero ver ninguém, dá-me um dia de solidão. Volta para o sitio de onde sais-te, hoje estou em reflexão. Quero fingir que não existo e mudar de nome. Quero limpar esta mancha que por dentro me consome. Apagar esta chama que me queima e me absorve. As lágrimas já secaram, hoje nada me comove. Sem ninguém para me mandar e me dar ordens.. Sem ninguém para desviar e deturpar minhas mensagens. Encontrei-me comigo, sou dono do meu eu. Já não mandas em mim, hoje o mundo é meu.

Ex-Peão
Hoje quero estar em solidão, agarro em ambas as mãos. A foto do meu avô, encosto-a ao coração. Eu vi a luz naquela sala com a luz cortada, no meu ombro eu tenho um anjo que me conduz, que me guarda. Quando me sinto perdido, quando o mundo não faz sentido, quando carrego um fardo pesado e acabo abatido.
Eu sinto que devo encontrar o verdadeiro norte, o meu rumo, o corte no meu coração é profundo por mais que tento tocar o céu, bato sempre no fundo. Senhor leva a minha solidão com os corvos, mas não leves o amor dos meus olhos. Hoje já não sinto dor, sinto uma força imensa, presença intensa. Sequei as lágrimas, virei as páginas, afoguei as mágoas, hoje não me magoas. Não estou aqui, estou nas falésias à beira de uma lagoa
enquanto declamo poesias na primeira pessoa.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Ritmo Amor e Palavras com as etiquetas , , , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s