.

Um outro eu. Um eu que não eu. Foi o que senti. Como se uma carrada de anos tivessem subitamente desaparecido por alguns segundos. O vento, sim. Esse foi o responsável. E tu, sim. Foste o responsável por teres feito renascer o que durante tanto tempo lutei para conseguir alcançar. Mas estou a voltar ao meu normal. Estou a tornar ao meu eu com as constantes problemáticas do ser e não-ser. Do existires ou não em mim. Problemática estúpida, decerto. É claro que sei a resposta. Mas vais e vens como as ondas inconstantes do mar. Vens com rapidez e desapareces lentamente. E é o que me custa. Ver-te desaparecer lentamente quando apenas te queria eliminar por completo.

Daniela Teixeira

Anúncios
Esta entrada foi publicada em . ligação permanente.

5 respostas a .

  1. Adorei! Tens imenso jeito daniela, espero que faças disto futuro pois vais valer muitos a pena 🙂

  2. desculpa os “s’s” acrescentados às palavras, mas escrever em portáteis não é o meu forte :p

  3. marie rv diz:

    Gosto imenso!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s