3.

Recentemente descobri que tenho um karma com o cabeleireiro. Em tempos julguei que era da cabeleireira, pelo que decidi mudar e nunca mais lá ir. Mas com o tempo fui percebendo que de facto, isto é mesmo KARMA! Não consigo perceber. Quando vou a um cabeleireiro faço questão de ser muito explícita e falar D-E-V-A-G-A-R para que tudo possa ser compreensível. Aquilo que eu digo: Quero apenas cortar o espigado de forma a manter mais ao menos o comprimento.  Aquilo que a cabeleireira percebe: Ok, cortar metade do cabelo. E pimbas! Lá se vai o meu cabelo. Ora, eu pago 8,50€ para cortar o cabelo seja ele curto ou comprido. Visto que elas não ganham menos se me cortarem pouco, porque não cortar como eu digo? Até lhes faço um favor! Reduzo-lhes o trabalho e ainda lhes pago o mesmo. Podia eu ter o espírito aventureiro que tem a minha cara colega e amiga Ângela Loureiro para pegar na tesoura e o cortar em casa? Podia, pois claro que podia. MAS NÃO TENHO! De modo que vou começar a não cortar, vou deixá-lo todo espigado (Que cenário interessante). Ontem foi a festa do 25 de Abril no Parque de Queluz. Este ano tivemos um cantor minimamente conhecido por parte das faixas etárias mais avançadas (e da nossa também). Até tenho medo de saber quanto é que o Toy cobrou pelo espectáculo, mas acho que a crise ainda não chegou a Queluz. Por falar em crise, acabei de  fazer um bolo chamado: Bolo Económico. Sabem qual é o cúmulo? De económico não tem nada. E com ele vos deixo.

Daniela Teixeira

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Tretas. ligação permanente.

6 respostas a 3.

  1. marie rv diz:

    Dá-me tanta vontade de colocar milhentos likes aqui. Primeiro por causa do cabeleireiro, que só conheci uma que faz exactamente o que eu peço – e está lá no algarve, logo não tenho muita sorte agora. E depois pelo bolo, que tem um aspecto tão boooom!

    • É não é? Eu cá não tenho sorte nenhuma. Ainda por cima em Odivelas, onde eu costumo ir arranjar o cabelo, a mulherzinha faz sempre questão de me arranjar o cabelo. Ou seja, deve ter prazer em deixar-me sem metade do cabelo, para além de que insiste em querer fazer caracóis como os da Cladia Vieira! Wtf? O bolo já se foi, mas quando fizer outro mando-te uma fatia via e-mail 😀

      • marie rv diz:

        Ahah, há um lá em lisboa, perto do sítio onde trabalho que até não é mau de todo, vou lá umas duas vezes por mês e sai mais ou menos como gosto 😛
        Essa dos caracóis está boa ahahah, tens de deixar uma vez, para vermos como ficaa!!
        Sim, siim ! Isso seria muita bom 😛

  2. João Amor Monteiro diz:

    A economia do nosso quotidiano também não tem nada de económico, apoia e favorece o consumismo.. em suma.. esse bolo caracteriza muito bem o que significa a economia nos dias de hoje.. uma palavra usada fora do seu sentido.

  3. Duas vezes por mês!? O meu orçamento não dá para ir tantas vezes ao cab! Nesse ponto, elas não enriquecem comigo. Mas desta última vez deixei, pena que tenha odiado o resultado! Então eu depois mando 😛

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s